sexta-feira, 24 de outubro de 2014

.Yo Az.


Boa parte do meu trabalho como designer de estamparia, é explorar todas as possibilidades do desenho vetorial e ao longo dos anos, minha personalidade e meu traço começaram a aparecer bem mais em minhas criações conforme fui amadurecendo. Isso, logicamente, acontece com muito empenho, prática e amor ao que se faz e até rolar aquele estalo do tipo "é desse jeito que quero trabalhar", pode levar um bom tempo, até porque aprimoramos nosso olhar e gostos com o passar da idade. Encontrar o que realmente te motiva e te deixa feliz, dentro de tantas coisas que são necessárias quando se trabalha com design, é difícil e quase sempre isso acontece, com projetos pessoais ou algo do tipo.

Falei tudo isso, porque me identifico muito com o trabalho pessoal desse designer, que é pouco mais jovem do que eu, e, pra mim, conquistou uma evolução enorme na composição e estilo de suas obras, predominantemente, vetoriais.

O trabalho do designer gráfico e ilustrador francês Yo Az é meticuloso, intenso, bem colorido e com uma pegada psicodélica. Seu perfeccionismo é vigente e suas influências artísticas e musicais são muito nítidas: ele ama graffiti e adora escutar música eletrônica, reggae e rap dos anos 80' e 90', enquanto está criando. A primeira, mais marcante e uma das principais bases para sua arte. Ele define seu estilo como "electro-geometrical". Para ele, o ritmo eletrônico dita o tom certo para seu trabalho ganhar ainda mais profundidade. 

Ele acredita que o que mais vale a pena, é criar algo sem se preocupar tanto com o que já vemos por aí todos os dias e curte seguir um caminho mais abstrato e menos óbvio. Tanto que, amante do cinema, Yo Az gosta de recriar a seu modo, pôsteres de filmes já consagrados.

Para ver outras maravilhas do Yo Az, clique aqui.









Adoro essa série "Pop Card". Imagina que lindo um baralho todo feito nesse estilo?





Conheci seu trabalho pelas ilustrações de animais e fiquei hipnotizada por cada detalhe de suas construções.









Sempre buscando aprimorar sua obra e imprimir ainda mais o que define sua identidade, Yo Az (Yo são as primeiras letras de seu nome e Az, o início de seu sobrenome) tem aquele trabalho que automaticamente já imagino estampando camisetas e mais um monte de coisas. E, para a minha surpresa, enquanto estava pesquisando sobre ele, algumas de suas obras estão cumprindo este papel. Em sua lojinha no Design By Humans, tem camisetas de manga curta, regatas, moletons sem e com capuz e capas para celulares.


01 - 02 - 03 - 04 - 05 - 06 - 07 - 08 - 09

Já na Society6, ele também vende capinhas de celular e muitas outras coisas como: giclês, almofadas, bolsas, canecas e até cortinas de banheiro.


10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18

Para saber como comprar cada uma das peças acima, clique nos números referentes.


Sites:
www.yoaz.tumblr.com
www.designbyhumans.com/shop/yoaz
www.society6.com/yoaz

Página no facebook.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

.O Melhor da NYFW / Spring 2015.


Quando chega essa época do ano, sempre penso que irei conseguir dar um jeito de olhar todos os desfiles de Primavera / Verão das temporadas internacionais. Mas, são tantos looks por vez e meu tempo livre ficou tão escasso de uns tempos para cá, que acabo vendo somente os de minhas grifes favoritas. 

Faz parte de minha profissão olhar o que acontece em todo o mercado de uma maneira geral e gosto muito disso, então, sem protecionismos, decidi analisar, pelo menos, tudo o que foi mostrado em uma das temporadas: a de Nova York. Escolhi a NYFW por ser a que menos me chama a atenção, por ter poucas grifes das quais realmente gosto. Fiquei feliz por ter feito isso, pois gostei de muita coisa! 

O mercado da moda está mudando já faz um tempo e as pessoas querem ver uma peça e logo se imaginarem dentro dela. É tudo muito rápido e as empresas cada vez mais precisam desenvolver aquilo que despertará um desejo instantâneo em suas clientes. Acredito em uma moda que trabalhe mais com atemporalidade, na qual, no futuro, você olhará para aquela roupa ou acessório e ainda curtirá o estilo. Comprar não por impulsos e somente o que tem a ver com a personalidade de cada um.

Gostei do que vi nessa temporada por ter me despertado essa vontade e esse desejo. Muita coisa bonita e sem grandes complicações.

         .CAROLINA HERRERA.         


Que coleção! Fiquei apaixonada por quase tudo o que foi desfilado. Tanta sensibilidade e beleza reunidas que quando terminei de ver todos os looks, já tinha certeza que este seria meu desfile preferido. Impecabilidade é a palavra perfeita pra mim que define o que Carolina Herrera mostrou. Muitos florais lindíssimos, leveza e quase tudo dá aquela sensação de conforto.






         .FLORES E MAIS FLORES.         


Assim como falei um pouco a respeito no post anterior, os florais tomaram a dianteira nesta temporada, não somente em formato de estampa, mas, também, nos bordados e nas aplicações tridimensionais. Carolina fez bonito usando as flores como o carro chefe de sua coleção e muitas outras grifes também souberam resolver bem como as usariam em suas peças. Alguns ótimos exemplo: Naeem KhanOscar de la Renta, Michael Kors e Vivienne Tam.







         .FUNNY.         


É cômico ver como algo tão rechaçado na moda, pode voltar com tamanha força e empenho de alguns estilistas. Parte de minha adolescência foi nos anos 90 e eu adorava um monte de coisas que hoje, chegando nos 30, considero interessantes somente para aquela fase da vida. 

O revival dos anos 90' está por aí já faz algum tempinho e mesmo adorando todo o movimento minimalista e clean da época, reeleitos de uma maneira bem atual, também acho que há coisas que deviam ter ficado no passado, quando ainda havia um contexto para tal. Gosto é gosto e pra mim, coisas de pelúcia e umbigo de fora não deveriam ter sido desenterrados. Mas, gostei de algumas coisas que apareceram, como o look acima da Libertine

         .FRANCESCA LIBERATORE.         


Um dos destaques para mim da NYFW foi a coleção da Francesca Liberatore. Bem easygoing e com camisetas bonitas que misturam estampas localizadas de aves e muita transparência.


         .EM AMARELO.         


Já falei por aqui mais do que uma vez, provavelmente, que adoro amarelo e nunca entendi o motivo de tanta gente não gostar de uma cor tão bonita e alegre. Presente há algumas temporadas em diversos desfiles, ele dá vida e calor à peças nas mais variadas modelagens e estilos.



         .EM BRANCO.         


Característica forte dos anos 90', os looks quase 100% brancos são lindos, elegantes e para mim, uma das poucas combinações monocromáticas que curto. São as texturas que falam mais alto por aqui e elas são muito bem-vindas. Esse vestido acima é uma das peças mais bonitas de toda a temporada! Modelagem incrível, diferente e muito sofisticada.



         .PARA COBRIR-SE.         


Nosso verão é tão quente que é bem difícil tirarmos um blazer ou casaco do armário durante a estação. Mas, algumas grifes desfilaram modelos tão lindos, que selecionei alguns mesmo assim.


Exemplares bem legais, os modelos de Thom Browne vieram divertidos e combinando com o restante do look. Destaque aqui, na verdade, para as cartolas!

         .ARTESANAL.         


Estava lindo o desfile de Tory Burch e todo o trabalho artesanal de sua coleção, também esteve presente nas coleções de outras marcas. Gosto bastante dessa mistura de peças rústicas com elementos urbanos. É algo que agrada muito a nós brasileiras e que sempre tenho em mente como uma boa referência. 


         .RENDADOS.         


Há alguns anos, as rendas foram destaque em muitas coleções de tanta gente por aqui e lá fora, que de fato, cansaram e pecaram pelo excesso. Nesta temporada, presentes em vários desfiles e usadas de formas mais inteligentes e menos óbvias, elas apareceram em peças estruturando macacões e sweaters


         .DO ESPORTE.         


Uma das influências que mais curto e acredito que seja uma das mais importantes atualmente, por sua praticidade e estilo urbano, é a que provém do segmento de sportwear e suas multi possibilidades. 

Na verdade, é uma fonte que trabalha em duas frentes: o quanto os esportes servem como inspiração no desenvolvimento de peças que não fazem parte do universo esportivo, tanto o que não seria uma referência para uma traje esportivo, mas, acabou sendo absorvido como tema para as roupas usadas pelos esportistas.

Isso é muito visto nos modelos de tênis que têm surgido por aí. Lindos de morrer e que até pouco tempo atrás, poucas mulheres cogitariam em usa-los casualmente.


         .GEOMETRIA.         


Geometria nas texturas, estampas, bordados e modelagens.





         .ASSIMETRIA.         


Adoro assimetria e de tudo o que tem aparecido nas últimas temporadas, elas estão entre os maiores revivals: presentes em modelagens, aplicações e até em estampas. Elas são difíceis de assimilar dependendo de suas desproporções, mas, curti esses exemplos que selecionei. Estão na medida. 



         .LADYLIKE UPDATE.         


Cintura alta, ajustada e comprimentos abaixo do joelho, muitas vezes quase beirando os tornozelos. Nessa temporada, esse combo veio em muitos estilos. Acho esse comprimento lindo e um tanto quanto ingrato. Na prática, imagino poucas pessoas comprando essa ideia e toda vez que vejo uma famosa usando uma saia dessas, tenho a impressão de que o fotógrafo tirou a foto propositalmente de cima pra baixo, só para a moça ficar parecendo uma criança cabeçuda. Ela achata e tende a ficar boa somente em gente alta.



         .LONGOS À FLOR DA PELE.         


Lindos, simples, esvoaçantes e mostrando muita pele, estes quatro vestidos longos estão entre os meus favoritos. São tão incríveis que dispensam qualquer produção muito elaborada para compor o visual.

Imagens de referência: www.ffw.com.br